Não existe solidão para quem encontrou a si mesmo

Como suportar passar pela frustração de sentir-se só, sem objetivos e conseqüentemente com muito medo?

Esse momento doloroso apesar da aparência negativa pode ser bastante positivo para dar impulso ao eu interior e às respostas que precisa!

Li certa vez uma frase atribuída a Carl Jung, psicanalista que sucedeu Freud, que resume o conflito da alma do ser humano na busca de si, que é: "O paciente precisa estar só, para reconhecer o que realmente o sustenta, quando mais nada externo consegue sustentá-lo. Só então encontrará sua base indestrutível!"

Só estaremos realmente tendo chances de entrar em contato com o que é verdadeiramente importante em nossa vida, quem somos e o que nos sustenta, quando percebemos que nada no mundo externo pode nos sustentar de fato.

Esses momentos podem chegar sem dor com a colaboração de nossa consciência que se expande e deixa de atribuir ao externo, aos outros, o poder de sustentar nossa vida. Vemos a tudo e todos como companheiros de caminhada e não como muletas.

Ou, essa busca pode vir com angústia, medo e sensação de solidão, quando em meio à dor, todas as nossas crenças são desafiadas, e não podemos contar com ninguém para sustentar nossa angústia e nossa vida. Parece que o chão se abriu a nossos pés, e nos falta o apoio.

Nesse momento de extrema sensação de solidão, sentimos como se nada pudesse nos motivar ou tivesse importância, consistência ou objetivo. Essa é a grande noite escura da alma!

Se continuarmos a procurar no externo motivações de vida ou a buscar nossa identidade na opinião dos outros, estaremos fadados ao insucesso e a muitas frustrações.

Nosso olhar precisa se dirigir ao interno, à busca de nossa base indestrutível, e essa busca pode ter início com muita curiosidade e prazer!

Mas infelizmente, algumas pessoas precisam chegar a um ponto quase insuportável de tensão para começarem a fazer esse caminho interior. E talvez por não conseguirem abandonar a visão e o mundo externo, essas pessoas acabem provocando que esse mesmo mundo ao qual se apegam as abandone primeiro.

Talvez precisem se sentir descendo às profundezas de um poço escuro para terem que buscar suas respostas e sustento no eu interior.

Mas seja qual for o motivo da descida, gosto de dizer que no "fundo do poço existe uma potente mola, e não, um ralo!"

Existe no fundo do poço a mola que nos impulsiona para cima! Às vezes, só mesmo chegando ao fundo da piscina é que encontramos apoio pra dar impulso e voltar à superfície!

Talvez seja essa a sua hora de subir! Hora de dar a si mesmo esse impulso!

Procure seu eu interno, sua verdade interior, sua alma, que é quem tem as respostas corretas!

Qual é sua base indestrutível? O que sente de verdade? Qual sua principal missão nessa vida? Quem é você realmente? Quais os seus anseios?

Existe algo que só você pode fazer nesse mundo e por isso nasceu, por isso está aqui e agora nesse planeta Terra.

Busque e faça o que veio fazer, sem se importar com o que o externo ache a respeito! Ouse! Construa algo que tem em seu coração e verá o quanto o mundo precisava disso. Mas somente você é quem poderia fazer, pois somos seres únicos e a cada um de nós cabe uma parte dentro da grande obra de construção de um mundo melhor!

Todas essas respostas estão dentro de você! Perceba que na verdade você já conhece essas respostas, mas apenas não ousou dizê-las a si!

Não existe solidão para quem encontrou a si mesmo!

Vera Calvet

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Não esqueça de deixar o email ou endereço do site/blog, ainda não tenho bola de cristal, rs.

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

TOPO